Horário de Atendimento

Seg - Sex: 08:00 - 17:00

Telefone

(62) 3291-6356

WhatsApp

(62) 99275-1838

Saúde mental e diabetes

07/02/2020 Categoria: Diabetes
Saúde mental e diabetes

Aproximadamente 13 milhões de pessoas sofrem com o diabetes, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) cerca de 6,9% da população, sendo o quarto país com o maior número de diabéticos no mundo. Outro ranking liderado pelo Brasil é o de país com o maior número de pessoas ansiosas: 9,3% da população, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Após serem diagnosticados com diabetes, os pacientes apresentam as mais variadas reações emocionais tais como negação, medo, tristeza e etc. E isso é absolutamente normal. Todos passamos por vários estágios emocionais quando temos que enfrentar uma doença crônica. 

O diagnóstico do diabetes não está relacionado com o que acontece somente no pâncreas. O diabetes impacta diretamente a rotina, o trabalho, a família, a relação com os amigos e consequentemente a saúde mental. Tendo em vista que não há milagre, nem férias para o tratamento, este depende em grande parte da disciplina do próprio paciente.

Nesse contexto, o paciente com diabetes, em particular tipo 2 (DM2), enfrenta diversas dificuldades de ajustamento, as quais podem afetar a apreciação subjetiva que faz de sua condição de vida, de acordo com o estágio de desenvolvimento das complicações relacionadas à doença. Além disso, é uma condição crônica que persiste por toda a vida e, algumas vezes, vem acompanhada de outras comorbidades. As complicações agudas decorrentes do diabetes também exercem impacto direto sobre a qualidade de vida, pois aumentam a predisposição a transtornos depressivos e de ansiedade, interferem nas relações de trabalho, no desempenho de tarefas domiciliares e escolares, bem como na própria independência (SOUSA et al., 2008). [1]

O stress afeta os níveis de glicemia
Algumas fontes de stress são causadas por estados físicos, como cirurgia ou doença. Outros tipos de stress são mentais, como problemas familiares ou preocupações financeiras. Ambos os tipos de stress podem provocar alterações nos seus níveis de hormonios e de glicemia (açúcar no sangue).
O que você pode fazer?
Exercícios
A prática de atividade física regular auxilia no controle da glicemia e libera endorfina, substância responsável pela sensação de bem-estar. 

Terapia
Falar sobre os nossos sentimentos, relacionados com diabetes ou não, com um profissional habilitado pode ajudar a aliviar a pressão que sentimos. O caminho do autoconhecimento poderá trazer benefícios não só para a relação com o diabetes, mas para a vida. Não há contraindicações.


Metas

Parece fácil estabelecer metas, mas sabemos que não é. O segredo pode estar em estabelecer pequenos objetivos de cada vez e de forma clara. Lembre-se que sucesso é qualquer progresso. Sucesso não é alcançar somente a meta final.   


Caso você esteja passando por alguma situação em que os seus pensamentos e sentimentos que estejam te atrapalhando, converse com a sua equipe médica. Pedir ajuda é um ato de força e muita coragem.

Referência:

1.    SOUSA, Valmi D. et al. Relationships among self-care agency, self-efficacy, self-care, and glycemic control.
Res. Theory Nurs. Pract., New York, v. 19, n. 3, p. 217-230, 2005.


Dr. Paulo Reis
Médico Cirurgião Bariatrico e Cirurgião Geral
CRM-GO 9595
Titulo de Especialista em Cirurgia Bariatrica - RQE: 12746
Título de Especialista em Cirurgia Geral – RQE: 10876;

Fale Conosco (62) 99275-1838